sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

A vida como ela não é

2008. Novo Ano. Velhos problemas. Velhas iras.

Sou muito tranquilo em relação a muita coisa que considero descartável. O que não me interessa, simplesmente ignoro e me abstenho de tecer críticas por acreditar que isso não acrescentará nada à minha cultura ou a meu conhecimento.

Mas não tem como ficar calado diante desta aberração televisiva chamada "Big Brother". Não é nem a falta de conteúdo de qualquer coisa no mínimo engraçada que esse programa oferece, mas a total e insopurtável imbecilidade que nele impera.

Um amontoado de modelos contratados para seguir um roteiro pré-definido, recheado de baixarias, obscenidades e frases e atitudes sem nexo, que supostamente tentam fazer o telespectador acreditar que aquilo "é a verdade" de uma vida em comunidade numa casa fechada.

Ridículo. Descartável.

Agora mais irritante que a qualidade (palavra que com certeza esse programa nunca vai conhecer) nula desse BBB é a total cobertura da imprensa sobre o fato. Jornais, revistas e a Internet dão a ele uma dimensão de importância mundial em ternos de noticiário. Por que?
Porque é popular?

Abro o site do Terra e vejo a importantíssima manchete (sim Manchete, com destaque): "BBB: Juliana desamarra biquíni à beira da piscina". Eu simplesmente não acreditei nisso. O que isso tem de relevância? Até mesmo para essa merda de programa (desculpe o baixo termo).
E tem mais. Preparem-se para engrandecer e evoluir com as manchetes a seguir: "Sumiço de sunga tira a paz da casa do BBB", "Rafinha dança funk na festa da uva do BBB 8" ou "Thalita diz que gosta de fumar após sexo".

Mas o mais doído, são muitas das pessoas à minha volta que dão importância a isso. E contam no dia-a-dia, as novidades como se fossem algo dentro de suas próprias famílias. Insuportável.
Há alguns meses, uma moça me disse "Não acredito que você não conhece a Siri!!". Como que me dizendo que eu era a pessoa mais desinformada do mundo. E ela estava falando sério. Estava inconformada com essa minha "ignorância".

É o tipo de gente que com certeza não sabe o que está se passando com a IOF, com os reféns da FARC, com a inflação ameaçando explodir nesse começo de ano, com as armações do governo com o IPVA.

É claro que a TV aberta já há anos dá sinal de que não produzirá mais nada de qualidade, salvo algumas raríssimas exceções. A criatividade do entretenimento televiso está morta faz tempo. Mas levar ao ar uma coisa infame como esse BB só pode siginficar 2 coisas: na desistência de se produzir algo pela falta da qualidade, estão endeusando o lixo, o podre, a exploração baixa da sensualidade, ou estão tirando um sarro na cara do povo, Cuspindo, xingando e chamando ele de otário.

É o mais triste: o povo ainda ri, vota e torce por essa aberração.

9 comentários:

Ana disse...

Muito boa crônica, Júlio...
Concordo com tudo que disse, e me revolto também.
Até mais!
Ana
www.mineirasuai.blogspot.com

Deisily de Quadros disse...

O que esperar de uma "gente brasileira" que não é ensinada a ler bons livros, ouvir boa música e ver bons programas? Essa é a nossa indústria cultural...

jverdi disse...

Obrigado meninas.
É isso aí mesmo.

Julio Verdi

Drikaflor disse...

Esta é a melhor e mais consistente explicação deste aterrorizante BBB que alguém já escreveu.
Suportar Gugu inventando notícia do comando vermelho, Faustão que não deixa ninguém falar, Luciana Gimenez com aquele monte de garota de programa que (talvez) nem faça programa e, agora, já na oitava edição, esta palhaçada de gente estúpida.
Como eu sei disso tudo?
Porque infelizmente não moro numa ilha. E neste pedaço de terra rodeado por intrépidos, tenho que conviver com estes desgostos. Ainda bem que inventaram o controle remoto. O off come solto quando vejo essas coisas. Na verdade, assisto Tv raramente - adoro ler já que sou professora de literatura. Amo tomar sorvete. Beijar também. Não nessa ordem. Acho que as pessoas deveriam beijar mais, tomar mais sorvete e ler, ler e ler. Mas ler aquilo que transforma sua cabeça num moínho de idéias.
Que lugar de gente que esquece que está sendo roubado todos os dias, que não vê criança roubando e se prostituindo, passando fome...e acha graça nessa passarela de cabides imbecis desta televisão.
Sabe, siri pra mim é aquele bichinho que sempre passa no Discovery Chanel.
Brincadeiras a parte...eu tive uma aluna que morreu com 15 anos de anorexia. Estava tentando entrar na malhação. Claro que os caminhos dela não justificam nada. Mas televisão brasileira carrega um lixo quem nem todos conseguem vê-lo.
Escrevi uma carta.
Sábias palavras as suas. Como disse, as melhores que li sobre isso.
Beijão querido.
www.drikaflor.zip.net

jverdi disse...

Valeu Drika.

Julio Verdi

caH* maR* na paz disse...

olha nao acredito que encontrei pessoas assim, o pior !!!
o fantastico esta com a mesma ideia louca !!!
pode , um certo dia fui assistir tv , o que vejo na entrada do fantastico , o tal de alemao, na entrada do fantastico , e o pior estava aconteçendo horrores no mundo aff , sera que tem jeito

Cris disse...

"Tamo " atrasadinhos,né , Julio? Gostei da tua visita lá no outro lado, gostei do teu modo de pensar e expressar. Vou te linkar( só pra rimar ..rsrs)

Bj

Cris

FINA FLOR disse...

também não falo do que para mim é indiferente, querido.

obrigada por sua visita e volte sempre que quiser,

MM.

Juli =) disse...

Ri MUITO, torce MUITO e vota MUITO, o suficiente pra dar muito lucro pros gênios que copiaram isso aí (que, vale lembrar, felzimente não é genuinamente brasileiro - o que não alivia, mas é confortável de saber). Note que o investimento que se faz neste programa acaba sendo proporcionalmente muuuuito baixo, bem mais baixo, aliás, do que o necessário para fomentar alguma produção verdadeiramente criativa.