segunda-feira, 6 de julho de 2009

O paradoxo da Educação


Os serviços públicos no Brasil passam por um verdadeiro paradoxo.

No quesito da saúde, a classe média/alta, paga por um atendimento de qualidade em clínicas e hospitais particulares, enquanto o serviço público atende de forma caótica os cidadãos de classes menos privilegiadas.

Já na Educação a coisa não funciona desta maneira. Até o ensino fundamental, a similaridade com a Saúde é perfeita. Ricos pagam por educação privada e dão a seus filhos a melhor base de aprendizado, enquanto filhos de pobres sofrem com a falta de estrutura da educação pública.

Justamente por isso é que ocorre o que eu chamaria de inversão de valores na incursão dos brasileiros na vida universitária. Faculdades públicas, mantidas pelo Estado ou Governo Federal, que deveriam atender às necessidades de estudantes sem estrutura econômica, acabam abrigando os filhos de classe média-alta, cuja preparação no ensino fundamental veio de escolas particulares, garantindo suas melhores chances nos vestibulares.

Enquanto isso o jovem pobre, oriundo de escolas públicas, acaba por financiando, às duras penas, sua estada em faculdades privadas.

Várias pessoas ligadas à educação freqüentam este blog, e têm muito mais conhecimento de causa para avaliar este assunto. Mas essa é minha visão sobre a educação brasileira.

Sem entrar na polêmica das diferenças estruturais entre as universidades públicas e privadas, onde a segunda apresenta, na maioria das vezes, carências similares a Saúde Pública. Outra inversão de valores. E essa inversão impacta diretamente na qualidade de profissionais que essas instituições despejam no mercado a cada ano.

Na minha visão a solução pra isso é uma só: a melhora extrema e intensa na qualidade de educação pública do ensino fundamental. Jovens pobres e ricos chegariam ao vestibular público com igual carga de preparação.

14 comentários:

Flavia Tavares disse...

"Jovens pobres e ricos chegariam ao vestibular público com igual carga de preparação. "
Esse é o verdadeiro socialismo - oportunidades iguais para todos - e não a visao paternalista atual de se ficar dando esmolas.

Edna Lima disse...

Vc está sendo generoso. Eu formei 2 filhos um pela faculdade pública e outro pela particular. A diferença entre eles é muita. Uma boa semana . bjssss

Lucy in the Sky with Diamounds disse...

Concordo com você, Julio.
Indubitavelmente, creio que seja necessário um preparo melhor dos professores da rede pública de ensino - para que o ensino seja de qualidade igual ao do ensino privado.
Bem, eu estudei em escola pública... nunca fiz cursinho e, mesmo assim, passei em medicina em uma universidade pública. Creio que o ensino em nosso país, tenha piorado muito progressivamente.

Bjos

Anônimo disse...

Concordo com você, e o pior de tudo isso são os profissionais lançados no mercado, sem qualquer sabedoria na qualificação escolhida, hoje é muito fácil ter um curso superior o difícil e ter um conhecimento superior.
Beijinhos!!!
paty3376@yahoo.com.br

Sah disse...

Eu concordo com tudo o que vc escreveu, mas acho que isso não vai mudar nunca e por mera vontade política, pois quanto mais bem formadas e inteligentes, mais questionadoras e conhecedoras dos seus direitos as pessoas se tornam e isso não é interessante às pessoas que comandam o nosso país.

Obrigada pela visita no "Coisas", passe sempre que quiser!


Abraços!

Sah

Stella disse...

Olha, esse semestre eu tive que ler para a faculdade "Organização do Ensino no Brasil" e posso dizer uma coisa? É uma confusão. Leis que não acontecem, que não se aplicam à realidade das escolas, um governo que se lixa pra tudo isso e arruma paliativos pra enganar a população.
A educação nesse país é uma vergonha.

Beijos

Beta Profice disse...

Adorei o blog!
Parabéns!
Obrigada pela visita, volte sempre!
beijo*

Vânia Almeida disse...

Oi Julio, como vai?! Passando aqui pra te desejar um ótimo fim e semana.
bjs
Vânia
http://cuidandodocorpo.blogspot.com

Poesia e Flores disse...

Olá Júlio!

Obrigada pela visita.

Adorei seu espaço.
Parabéns!

Beijos poéticos

Arnalda Rabelo.

Austeriana disse...

Em Portugal, a história é a mesma.
Ao estado a que isto chegou!

Flávia Diniz. disse...

Olha aqui minha visitinha ;D


Beijinhos e ótimo fds ;***

Ju Fuzetto disse...

ótimo seu blog, obrigada pela visita!

Claudiana G. Sousa disse...

Olá Julio, não há a menor dúvida sobre esse assunto do paradoxo da educação, prova disso é que é muito visível a todos, outro dia estava comentando isso com um amigo e ouço com frequência em documentários jornalísticos. Esperamos que essas falhas sejam sanadas o mais rápido possível. É certo que tomamos conhecimento todos os dias de muitos absurdos que acontecem com relação às desigualdades em todos os sentidos, mas também, convenhamos que veem acontecendo muitas mudanças em alguns senários da sociedade , um exemplo são as mudanças que são noticiadas sobre a nova forma de avaliação para ingressar nas universidades públicas, nos resta como cidadãos fazer com que essas mudanças se concretizem, cobrando dos governantes ou responsáveis o que tem que ser feito e conscientizando aqueles que desconhecem seus direitos. Um abraço...

sueli2009 disse...

a educação brasileira remora o inicio da nossa colonização. o senhorzinho não quer um escravo letrado , muito menos sabedor de que a igualdade racial existe tanto no céiu quanto no inferno.