sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Competência gera Sobrevivência



A sobrevivência de uma empresa, em sua mais variada forma de dimensão, está diretamente atrelada à competência administrativa plena em quatro pilares básicos de sustentação: gerenciamento pleno de despesas, controle e eficiência máxima na produção, estratégias eficazes de marketing e gestão constante de pessoas. Se um destes pilares for negligenciado gerencialmente, o crescimento ou estabilidade do empreendimento estará ameaçado de ruir, e, num mercado cada vez mais competitivo e dinâmico, as ameaças de redução de sharing comercial ou mesmo de falências estarão cada vez mais próximas.

Gerenciamento de Despesas – Não se pode pensar em colocar sua empresa no mercado sem que tenha plena consciência dos custos que o negócio envolve. Saber definir as despesas operacionais e variáveis, controlá-las em períodos cada vez menores, contato extreito com fornecedores, tratamento dos desvios de forma urgente, julgamento imediato de custos e investimentos ineficazes e sem propósitos. Em suma, deve-se saber como, quando e principalmente porque os custos de sua operação estão sendo movimentados.

Controle da Produção – Não importa qual seja o produto final de sua corporação – manufaturados, prestação de serviços ou comércio final (quando apenas se comercializa produtos de terceiros) – o sucesso regular da produção é o pilar mestre da existência do empreendimento. Um mero sinal de falha no seu produto corrói como um câncer toda boa referência e solidez da imagem comercial de sua empresa. Padronização no processo industrial, contatos direto e indireto com clientes, treinamentos constantes de pessoal, análise de anomalias e tratamento e realinhagem dos procedimentos, investimentos  racionais na modernização de equipamentos, acessórios, softwares e técnicas envolvidos no processo, monitoramento constante da qualidade final do produto, são algumas ferramentas a serem aplicadas para garantir a aceitação e fidelidade a seu produto no mercado. Um produto é fruto de processos, constituídos de muitos procedimentos. A eficiência máxima destes procedimentos é o alicerce para a qualidade máxima do produto.

Estratégias de Marketing - Um produto de qualidade máxima, produzido a custos controláveis, não se garante sozinho na concorrência. É preciso divulgação constante e inteligente. Focar o público alvo, cativar, fidelizar e encantar o cliente, monitorar constantemente as ações, preços e qualidade do produto dos concorrentes, prover campanhas que sempre evidenciem sua marca, se cercar de um universo infinito de informações acerca da aceitação ou rejeição de seus produtos, prática constante do processo de pós-venda, ouvir e mapear as opiniões de seus clientes, direcionar o as características do produto para as necessidades comuns dos clientes. Não é o produto que tem que conquistar o cliente, é o cliente que tem que projetar o produto. Afinal, ele é quem vai pagar por algo que ele sabe que lhe satisfaça.

Gestão de Pessoas -São pessoas que fazem o sucesso e o fracasso de seu produto. Por melhor produzido que for, a custos adequados e com uma penetração forte de marketing, o sucesso de sua aceitação está na consciência e segurança com que as pessoas lidam com os processos do dia a dia. Ambientes de trabalho agradáveis, inserção de desafios pessoais, reciclagem e treinamentos, segurança econômica e agregação de valores em formas de benefícios, atuação constante no gerenciamento de conflitos de interesses, programas de integração familiar, programas de crescimento profissional, programas de remuneração vinculados à produtividade e análise de capacitação são elementos  que visam manter o rendimento eficiente e regular de cada pessoa dentro de uma empresa. Se a pessoa não tem prazer, segurança ou motivação em atuar no processo, ela o fará por apenas por obrigação e necessidade, e isso compromete o envolvimento e foco. Motivação e treinamento são armas mais eficazes para a uniformidade da qualidade do trabalho, do que desligamentos sumários.

Evidentemente, deter o controle absoluto destes pilares envolve uma estrutura proporcional ao tamanho do empreendimento. Por isso existem hierarquias administrativas, variáveis à expansão ou retração do efetivo gerencial necessário para tal controle. A multiplicação do conhecimento e a consciência da responsabilidade são a força motriz da máquina administrativa. O sucesso rentável, social e de solidez são os frutos colhidos pela competência dos controles. Isso garante a sobrevivência plena do negócio.

2 comentários:

Suely Oliveira disse...

Interessante, o conteúdo.
Creio que vou copiar, se me permite é claro.

jverdi disse...

Claro Sueli, fique à vontade. se puder colo o link do meu blog nele, www.julio-verdi.blogspot.com.

Abçs