quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Será que parei no tempo?

Me considero novo. Apesar dos enta começar a mostrar a cara no horizonte, adoro novidades tecnológicas e tenho facilidade em lidar com a modernidade.

Mas algumas ainda não passam por minha cabeça. Uma delas conheci recentemente e não acreditei sinceramente que pudesse existir. É a chamada "Second Life". Uma espécie de jogo ou RPG, onde as pessoas tem vidas alternativas na rede. Vidas virtuais. Que me perdoem os adeptos, mas essa é uma das maiores imbecilidades que já vi.

Posso até ser leigo e não entender o sentido ou o intuito desse "Second Life". Mas se for o que eu entendi vai de encontra contra algumas das verdades que defendo. Uma delas é nossa vida real, nua, crua e autêntica. Se não tá boa, nós temos que buscar melhorar. É uma dádiva a vida que Deus nos deu. Temos que cuidar dela da melhor maneira possível. Não nos esconder em personagens virtuais, num mundo perfeito.

Como sempre digo: nós somos responsáveis por nossos problemas. Não podemos culpar ninguém e ficar nos lamentando porque vivemos assim e assim vai ser. Como ouvi de um consultor certa vez: "Se continuarmos fazendo sempre o fazemos, da maneira que fazemos, teremos sempre os mesmos resultados que temos hoje".

Portanto se não estamos felizes com os resultados do agora, temos que mudar pra atingirmos nossos objetivos. A vida de cada um é de cada um. Só nós mesmos sabemos o que é melhor pra ela. Viver já. Sem ilusão, sem vidas virtuais.

Um comentário:

ursula disse...

Então...por falar em vida real tem um poeminha de Fernando Pessoa(Ricardo Reis, 14-2-1933)que pode falar um pouco disso.

Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive.

Ursula